quarta-feira, 28 de maio de 2008

ARVIM, ARGOERA OU ALGO ASSIM

ARVIM, ARGOERA OU ALGO ASSIM

Para Marlene

não há nada mais agreste do que a pitanga
e não há nada mais contrário à pitanga do que seu nome: pitanga

pitanga poderia ser arvim, argoera, ou coisa assim, onde o agreste se fizesse presente

mas porque o seu nome a inviabilizou para a poesia registro o fato
de que poeta algum irá conspurcá-la em verso

desejo que não se enuncia porque não se define
a pitanga destila o seu antídoto e se preserva para o gosto
apenas

De Sobre a Carne do Poema, In: 360º. Poesia Reunida, p. 73 e p. 79.

Um comentário:

  1. De uma simplicidade fascinante.
    Abraço,
    Bianca.

    ResponderExcluir