sábado, 20 de setembro de 2008

à maneira de machado

3
à maneira de machado
vê, leitor, esse ponto.
quando, então, supõe-no ponto
não é o ponto que se lê
no ponto

mas o prontuário,
a obscuridade própria
ao ponto


(oswaldo martins)

3 comentários:

  1. Boa noite, Prof. Oswaldo. Tentei enviar uma mensagem pelo e-mail, mas não consegui por causa do filtro antispam. Pesquisei sobre a Paula Glenadel e tomei conhecimento do livro de poesias "Quase uma arte". Seria esse?

    Aguardo o seu retorno. Parabéns pelo blog.

    Atenciosamente,

    Ruben Marcelino

    rubenmarcelinobs@yahoo.com.br
    http://asmuitasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. E as reticências, que traz ao final da Oração mais que filosofia cética!


    abzzz

    ResponderExcluir
  3. Esse sombrio implícito, não-dito, é que é o ponto. Na minha leitura.

    ResponderExcluir