quinta-feira, 16 de maio de 2013

hospício


os portões as insígnias
os camisolas-paxá as agulhas

os desviados que os levam para lá
os deuses

empilham em mundos os objetos
sujeitos à desordem

constroem construtos exatos
tão à força das mãos

que alfabetizam os nomes
das coisas que se perderam

(oswaldo martins)

2 comentários:

  1. este poema é uma maravilha completa!

    ResponderExcluir
  2. é do arthur bispo. estou agora trabalhando como um doido. rsrsrs

    ResponderExcluir